Solicitar reparos na iluminação pública

quarta-feira, 15 de maio de 2013

CLIMA FRIO EM VISCONDE DE MAUÁ ATRAI MAIS VISITANTES


Clima frio e atmosfera romântica nas serras de Visconde de Mauá atraem visitantes
Belíssimas cachoeiras, mirantes que levam a vistas incríveis das serras e uma gastronomia de primeira também são alguns dos atrativos da região

A região de Visconde de Mauá, que faz divisa entre os estados do Rio e Minas e se confunde com as limítrofes Maringá e Maromba, leva a um estado de contemplação. A região toda se veste de delicadezas para receber quem chega. Puxe a cadeira, sente-se à mesa e delicie-se com pratos de truta fresca, massas, mexido mineiro e bolo húngaro.

Restaurantes de Visconde de Mauá oferecem pratos à base de truta
No Truta Rosa, são visitados tanques de criação e feita a pesca da espécie arco-íris, originária da Califórnia. O visitante pode degustar várias preparações e levar para casa filés embalados a vácuo da truta salmonada

Visconde de Mauá é lugar da boa gastronomia, do pinhão, da truta. Do café da manhã ao jantar, comer bem é um dos principais prazeres do lugar. Todos os restaurantes da região servem pratos à base de truta, com preços que vão de R$ 11 a R$ 35, em média. No Truta Rosa, são visitados tanques de criação e feita a pesca da espécie arco-íris, originária da Califórnia (EUA).


Além de se divertir, o visitante pode degustar várias preparações e levar para casa filés embalados a vácuo da truta salmonada, assim chamada por ter uma coloração avermelhada por causa da ração enriquecida com betacaroteno. Há também versões defumadas, cruas, em conserva (tipo um aliche), patês e escabeches, explica o proprietário Raimundo Alves, de 63 anos. “O peixe se adaptou muito bem ao nosso ambiente”, diz.


A serra ondula os tons: verdes, azuis e brancos. Vistos do alto, os morros se sucedem mansos, cada contorno se sobrepondo a outro. Parece infinito. As colinas se espraiam em vales, que esbanjam formas, mas não se mostram à primeira vista. Escondem nascentes, rios, cachoeiras, descobertos aos poucos, à medida que se exploram as estradas de terra.

Cachoeira de Santa Clara, no vale da Santa Clara


Poção dos 7 metros em Maromba, visitantes pulam do alto das rochas


O inverno ainda não chegou, mas a temperatura já começa a cair. Além disso, vem aí o Dia dos Namorados, o feriado de Corpus Christi e as férias de julho. Clima mais frio lembra serra, e um dos lugares mais aconchegantes do Brasil onde se pode viver toda essa atmosfera romântica, regada a boa gastronomia, e com boas possibilidades de aventuras, está em Visconde de Mauá (RJ). À primeira vista, com uma igrejinha e um campo de futebol logo na entrada, o vilarejo, um distrito de Resende, não promete muito. Ledo engano. Românticas pousadas, belíssimas cachoeiras, mirantes que levam a vistas incríveis das serras e uma gastronomia de primeira são alguns dos motivos para passar um tempo por lá.

Cachoeira do Escorrega, onde os vistantes dessem nas águas do Rio Preto num tobogã natural

Nascendo a 2.470m, no Parque Nacional do Itatiaia, o Rio Preto vem desde lá dividindo os dois estados, Rio e Minas. Corta a Vila de Mauá e sai banhando outros lugarejos tão lindos quanto, como Vila de Maringá e a Vila da Maromba (em Itatiaia). Há ainda os rios Marimbondo, que nasce a 2.500m de altitude, e o Santa Clara, a 2.200m de altitude, no Morro Cavado.

Visitantes fixam residência e abrem o próprio negócio na região de Visconde de MauáPessoas de outras regiões do país encontram em Visconde de Mauá um lugar para fugir da cidade grande. Os restaurantes apresentam o melhor da culinária local, que mistura traços da comida feita em Minas Gerais



As três vilas Mauá, Maromba e Maringá se interligam e se completam, cada uma com suas características. Logo na chegada, a dica é se armar com um mapa para se localizar e aproveitar o melhor da região, que conta com 206 pousadas e quatro áreas para camping. Fora de temporada, é possível encontrar diárias com preços de 30% a 40% menores, resultado da velha lei da oferta e da procura. Durante os feriados e no período de férias, o movimento é maior e os valores cobrados para a hospedagem também.


A região chega a receber 5 mil turistas em um feriadão, garante Osvaldo Cagniato, 60 anos, vice-presidente da Associação Turística e Comercial da Região de Visconde de Mauá (Mauatur), criada há 26 anos. “Meus olhos não enxergavam mais do que 10m, as dimensões do escritório em que eu trabalhava. Agora, vejo até os elementais”, define o paulista, que se apaixonou por Mauá e escolheu a região para montar a Pousada Mauá Brasil, com seus 14 chalés de luxo com belíssima vista da serra e um paisagismo bem cuidado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário